INFORMATIVO ACCY

Se você quer divulgar seu evento através do nosso blog, envie o convite ou dados como dia, hora, local, ponto de referência, grupo e responsável pelo evento E-MAIL:

capoeiraynae@gmail.com

Axé Camará,

Mestre Yoga


Batizado - Grupo de Capoeira Nova Força 18.04.09 - Monitor Segredo

Batizado - Grupo de Capoeira Nova Força 18.04.09 - Monitor Segredo

Mestre Yoga no treino de 29.03.09

Mestre Yoga no treino de 29.03.09

Roda UFPE

Roda UFPE

terça-feira, 19 de agosto de 2008

A Origem da Capoeira

Nenhum pesquisador até hoje, determinou com exatidão a origem do nome CAPOPEIRA. Porém, dentre as muitas hipóteses que surgiram e que ainda surgem, a que mais se assemelha ao correto é a de que esta palavra seja de origem Tupy-Guarani. Os índios chamavam de KAPU’ÊRA este local, que era sempre no meio das matas ao redor das fazendas de engenho, onde o mato era ralo, rente ao chão ou às vezes até mesmo cortado (roçado) pelos negros para a prática dos movimentos e golpes da luta. Até hoje os povos do interior dos estados brasileiros, principalmente de Minas Gerais chamam estes locais de Capoeira, muitas vezes sem saber que este é o nome que dá significado à palavra Capoeira.A Capoeira veio para o Brasil com os negros africanos na época do Brasil Colônia, por volta do ano de 1538, na fase áurea do desbravamento e desenvolvimento do nosso país. Na África, esta luta não se chamava Capoeira e sim N’Golo e lá era apenas uma diversão. Havia, inclusive, campeonatos onde os melhores lutadores eram chamados de guerreiros, tinham privilégios junto aos líderes das tribos e sempre eram os preferidos pelas mulheres na hora de casarem, pois eram considerados os mais fortes e sadios. O N’Golo era praticado principalmente pelos “Humbes”, uma tribo da região sul de Angola e a palavra N’Golo é traduzida por “Dança da Zebra”. Os movimentos imitavam alguns movimentos das zebras em luta ou em carreira ou ainda, das zebras machos para conquistar uma fêmea no cio.Ao serem trazidos como escravos para o Brasil, os negros angolanos passaram a usar esta luta não mais para se divertirem, mas para se defenderem das atrocidades do homem branco.Não é possível dizer com exatidão em que data ou local se travou a primeira batalha corporal entre negros e brancos, na qual foram utilizados golpes de Capoeira. Porém já foram encontrados registros de sua existência a partir do século XVII, no litoral da Bahia, onde era maior a concentração de negros no Brasil. Também se diz dos litorais de Pernambuco, Rio de Janeiro, Alagoas e Paraíba.Conta a história que os negros do Quilombo de Palmares, o maior e mais famoso de negros fugitivos que existiu, levaram uma enorme vantagem nas lutas corporais contra os seus perseguidores, tendo em vista a rapidez, a violência e a potência com que os negros deferiam golpes de pés e pernas, conseguindo cada guerreiro levar vantagem sobre três ou quatro homens do rei, como eram chamados os soldados naquela época. Foi devido a esta habilidade de lutar de seus integrantes que o Quilombo dos Palmares resistiu por mais de cem anos às invasões e à destruição.
Contar a
história é fácil. Difícil, mesmo, é fazer valer a arte da qual se conta a história.
Até chegar ao que é hoje a arte da Capoeira, passou por muitas “provações”, pois após ter sido marginalizada e até mesmo proibida, ainda sobreviveu por conta de seus maiores expoentes humanos, ou seja, Mestre Pastinha e Mestre Bimba que, apesar de toda fama que tiveram, morreram abandonados, na miséria e sem verem sua arte valorizada e difundida aos quatro cantos do mundo.

Nenhum comentário: